O que é bruxismo?

O termo incomum no vocabulário popular caracteriza o ato de ranger os dentes de forma sistêmica, o que pode abalar a arcada dentária como um todo

Ainda que silencioso, o bruxismo é uma doença que merece atenção. O ato de ranger os dentes, tensionando uma mandíbula contra a outra, pode provocar doenças periodontais, dores de cabeça e dores na musculatura da boca e da cabeça. O problema pode acontecer, inclusive, durante o sono.

O ranger, apertar ou esfregar os dentes podem ser causado por diversos motivos, até mesmo por questões emocionais. Situações de estresse e apreensão, por exemplo, podem motivar a repetição de movimentos que caracteriza o bruxismo.

A dor de dente é um dos principais indícios do bruxismo. Acompanhado a dor, o desgaste no esmalte e na estrutura dentária também é um sinal evidente de alguma disfunção. Dores faciais, na musculatura da mandíbula  e na arcada dentária são outros indicativos dos problema.

Placas Anti Bruxismo

Como parte do tratamento, que pode obedecer a diversas vertentes, as placas anti bruxismo são uma forma de contornar os prejuízos causados pelo ranger dos dentes, sobretudo, durante a noite.

Tratam-se de placas de resinas que são colocadas entre as arcadas dentárias para proteger os dentes contra as eventuais  fricções noturnas. Praticar atividades que tragam alívio durante a rotina estressante e regular o sono também são medidas que podem aumentar a qualidade de vida e controlar o bruxismo.

O bruxismo, ainda, pode acontecer em função da DTM (Disfunção Temporomandibular), um problema que prejudica a articulação da mandíbula e provoca incômodo ao se fazer qualquer movimento de abrir ou fechar a boca.

Conheça quais são os principais problemas gengivais

A mucosa da gengiva é uma região sensível e que pode sofrer com inflamações como a gengivite e a periodontite

A saúde bucal passa por uma boa conservação dos dentes e também pela higienização da gengiva. A mucosa gengival é uma região de tecido muito sensível acima dos dentes e que pode ser alvo de estados inflamatórios, como os casos da gengivite e periodontite.

A periodontite é um estágio já mais avançado da gengivite. A periodontite se caracteriza por um estágio mais grave por, além de envolver a inflamação da gengiva, também apresenta todos os tecidos de suporte ao dente, inclusive o osso, com sinais de inflamação.

Mas tudo começa a partir do acúmulo das placas bacterianas na cavidade bucal. Por isso, é fundamental que a higiene bucal seja feita de maneira correta, evitando o armazenamento de restos de comida na cavidade oral.

O primeiro indício de um problema gengival é o sangramento. Isso pode acontecer durante a escovação,  por exemplo. O ato de escovar os dentes, inclusive, pode vir a provocar alguma lesão na gengiva caso seja feita de forma errada. Problemas na gengiva, em alguns casos, podem ser o prenúncio de outros problemas de saúde. Por isso, não deixe de consultar um especialista.

Cuidar de uma boa higiene bucal após as refeições, com o uso do fio dental e da escova de dentes, pode ajudar a prevenir contra a formação da placa bacteriana. Quando já está acumulada, a placa bacteriana pode ser retirada com a ajuda de um especialista pelo método da raspagem.

Aftas: quais os tratamentos indicados?

O aparecimento de aftas tem mais incidência sobre grupos de risco específicos. Fatores como estresse e higiene bucal influenciam diretamente.

Ao menos uma vez na vida você já sofreu com aftas. São feridas resultantes de um processo inflamatório que atinge a mucosa oral. As lesões, que abalam a saúde bucal, podem ser resultante de uma série de fatores e têm incidência sobre grupos específicos, como crianças, pré-adolescentes e jovens.

As aftas não são causadas por fungos, bactérias nem qualquer outro microrganismo e, de maneira geral, tratam-se de um estado inflamatório de curta duração. Mediante tratamento, que inclusive pode ser realizado com métodos caseiros, as aftas desaparecem em cerca de duas semanas.

Aftas podem surgir em diferentes partes da cavidade oral, como no interior dos lábios, língua, bochechas, gengiva e garganta. Em geral, não apresentam pus nem sinais de infecção. São caracterizadas por formas ovaladas, brancas ou amareladas.

Causas das Aftas

O surgimento das aftas tem causas variadas. Até mesmo uma disfunção hormonal pode ser responsável por formar as estomatites aftoides – como também são conhecidas – no interior da boca. O histórico familiar também pode pesar a favor do aparecimento das aftas.

A fricção em regiões da boca, provocada por dentes quebrados ou até mesmo por uma escovação indevida, pode causar o surgimento das aftas.  Existem, no geral, dois tipos de aftas: menores – que levam de uma a duas semanas para cicatrizar – e maiores, que demoram, na maior parte das vezes, meses para secarem.

Os sintomas

Em geral, a região atingida pela afta apresenta uma vermelhidão e grande sensibilidade. Em alguns casos, o estado inflamatório provoca ardência. Em circunstâncias mais graves, pode acontecer a perda no paladar e quadros de dor aguda.

Tais sintomas, em média, duram entre uma e duas semanas enquanto o quadro está sendo tratado.

Tratamentos

É sempre recomendado que, em quadros mais resistentes, aconteça a consulta a um especialista para um encaminhamento mais assertivo. Ainda assim, existem pomadas especiais e outros métodos caseiros que dão conta de reduzir o estado inflamatório.

O gelo, por exemplo, é um grande aliado para diminuir a inflamação. Compressas, ao menos três vezes ao dia, devem aliviar as sensações de ardência. Fazer bochechos com solução a base de bicarbonato de sódio também é uma forma acelerar o processo de cicatrização. A aplicação de água oxigenada diretamente na afta ajuda a manter a região higienizada para evitar eventuais contaminações.

Os reflexos do estresse na saúde bucal

As situações provocadas pelo mundo corporativo podem desencadear uma rotina de estresse que afeta a saúde dos dentes

Uma rotina estressante pode influenciar por completo os cuidados com a saúde bucal. Além de poder desencadear reações inflamatórias, o estresse induz a uma série de práticas como uma dieta desregrada e maus hábitos como consumo de tabaco e bebidas alcóolicas.

Os mecanismos do estresse, como o abalo psicológico, despertam uma série de comportamentos que vem a degradar a saúde dos dentes. A correria do dia-a-dia, por exemplo, que dificulta a construção de uma dieta saudável e balanceada é um dos reflexos dos prejuízos do estresse ao corpo.

Além de não se alimentar bem, a higiene bucal – parte importante da rotina de cuidados com os dentes – é prejudicada. Por isso, recomenda-se sempre versões de bolso de pasta de dente e escova.  Assim, é possível manter a higiene da boca mesmo estando fora de casa, em meio aos compromissos do dia-a-dia.

Além da higiene bucal, que deve ser feita após as refeições, outro cuidado que se deve ter é relacionado à mastigação. Apesar dos horários e compromissos, é ideal ingerir os alimentos com calma, atentando-se à mastigação para evitar não só problemas estomacais como dentários.

Aliar o cuidado diário com os dentes à uma rotina sazonal de idas ao consultório de um profissional especializado pode ser a melhor saída para manter a saúde bucal em boas condições. Assim, evita-se a ocorrência de problemas como o aparecimento de cáries ou estados inflamatórios como a periodontite.

Fique a vontade para consultar nossos tratamentos e soluções. Entre em contato para saber mais detalhes e marcar uma visita.