Estética bucal e carreira: saiba como elas se relacionam

Manter os cuidados para alcançar um sorriso harmônico e bonito pode influenciar uma série de âmbitos da vida, tanto no pessoal quanto no profissional.

O sorriso é um dos maiores cartões de visita que podemos apresentar no início de qualquer relação. Trata-se de um sinal de autoconfiança e auto estima. Afinal, há forma melhor de transparecer o bom humor e a simpatia que não seja sorrindo?

Cuidar da estética bucal é sim uma possibilidade de alavancar a carreira. Afinal, um sorriso pode ser decisivo no início de tratativas ou até mesmo no fechamento de um negócio.

Estética bucal e carreira: o cuidado com a saúde e a autoestimaBelos sorrisos têm se mostrado cada vez mais decisivos na conquista de um emprego. E as descobertas recentes no campo da odontologia vêm favorecendo esse movimento em torno de um maior cuidado com a saúde e a estética bucal.

Novos tratamentos para realinhar dentes, remover manchas e corrigir fissuras têm poupado tempo de recuperação ao paciente e garantido bons resultados no longo prazo.

Uma pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, relacionou a retribuição de um sorriso ao status social de cada pessoa. Por exemplo, de acordo com o estudo, se o outro possui status mais elevado, é difícil reprimir o impulso e não sorrir de volta ao reagir a uma conversa.

É preciso saber os momentos adequados para sorrir. Mas ainda sim, o sorriso pode abrir portas no mercado de trabalho. É um grande fator psicológico. Ao sorrir, você demonstra satisfação, alegria e bem-estar pelo convívio com o outro.

Além do sorriso, a boa aparência, no geral, pode contar muito em uma série de situações do mundo corporativo, como em casos de relacionamento com o cliente. Vale lembrar que boa aparência, neste caso, não se refere à beleza, mas sim ao comportamento, vestimenta e discursos adequados.

Mas afinal, há uma relação direta?

 

Já falamos aqui no blog sobre a influência da posição da mandíbula no ramo profissional. De acordo com pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), existe uma estreita relação entre a posição da mandíbula, a harmonia facial e as chances no ramo profissional.

Acreditando ou não nas teorias, é recomendável o acompanhamento de um profissional especializado de forma rotineira. Assim, é possível manter a saúde bucal em dia e não dar chances para eventuais problemas bucais e entraves profissionais.

Para conhecer todas as especialidades da Studio Berrini. Não perca tempo para realizar sua primeira consulta e saber qual o melhor tratamento recomendado.

Qual a relação entre as doenças dentais e cardíacas?

O corpo humano é um ecossistema muito inteligente. As reações biológicas podem estar intimamente ligadas e, dessa forma, anunciarem problemas como infecções, inflamações e outras desordens do tipo.

A primeira vista, pode parecer estranho, mas acredite: há uma relação concreta entre doenças dentais e periodontais e problemas cardiovasculares. De forma geral, a interação entre coração e boca se dá através do sistema circulatório.

E é pelo sangue que existe a possibilidade de, eventualmente, algumas bactérias ou vírus saírem da boca e irem parar no coração. E vice-versa.

Doenças dentais e cardíacas: o que há em comum?

Assim como outras partes do corpo, a boca é uma região que possui sua própria flora bacteriana. Por meio de cortes na cavidade bucal, essas bactérias podem entrar em contato com a corrente sanguínea e serem transportadas até o coração.

É nestes casos que pode ser diagnosticada a chamada endocardite bacteriana, quando as bactérias ficam alojadas na parede interna do coração e provocam uma reação inflamatória na região.

Existe ainda outro problema cardiovascular que pode ser agravado a partir da presença de bactérias. Trata-se da aterosclerose, ou seja, a formação de placas de gordura na parede dos vasos sanguíneos.

Embora existam muitos fatores que podem causar a doença, há indicativos de que as bactérias provenientes da boca, uma vez na corrente sanguínea, podem ser um agravante a todo o cenário inflamatório.

Higiene bucal é fundamental!

Por essa e outras razões, a higiene bucal é uma tarefa que deve ser realizada diariamente com todo o cuidado. A higiene bucal tem papel decisivo na manutenção da saúde do corpo.

Manter a boca limpa de forma recorrente evita o acúmulo de bactérias, o aparecimento de inflamações e a ocorrência de lesões que possam provocar o contato das bactérias com a corrente sanguínea.

Recomenda-se, assim, uma escovação atenta e o uso de fio dental após cada refeição no decorrer do dia. Além dos cuidados cotidianos, é adequado consultar um especialista de forma rotineira para uma limpeza.

Para ficar por dentro de nossos serviços e condições especiais, fale conosco através do site.

Aparelho dental para adultos: ainda dá resultados?

Não se deixe enganar. A idade não representa obstáculo algum para o tratamento ortodôntico. Ainda que seja comum relacionar os aparelhos à fase da infância e adolescência, eles podem ser uma solução a qualquer tempo. Contudo, quando falamos de aparelho dental para adultos, a preocupação estética é maior.

E talvez pela estética muitas pessoas acabem renegando o uso do aparelho na idade adulta. Porém, os avanços nos campos da odontologia e da estética bucal possibilitaram novas soluções que preservam a estética e garantem o tratamento adequado.

Quebrando o tabu: o aparelho dental para adultos

 

Se entre os jovens o aparelho ortodôntico chega até a ser moda, com a escolha de resinas e borrachas coloridas, entre os adultos esse assunto ainda sugere um certo tabu. Cuidar da saúde e da estética bucal são questões fundamentais para combater os reflexos de uma rotina estressante.

O tratamento ortodôntico na busca por um sorriso perfeito  pode ser recomendado em uma série de casos: para a abertura de espaços e colocação de implantes, ou no alinhamento correto da arcada dentária, por exemplo.

Aquela ideia restrita ao sorriso metálico já é ultrapassada. Hoje em dia existem uma série de modelos e formatos de aparelhos que são possibilidades mais discretas, higiênicas e confortáveis para o dia-a-dia.

De acordo com a Associação Americana de Ortodontia, mais de 1 milhão de adultos fazem tratamento para alinhamento dos dentes nos Estados Unidos.

O mesmo órgão divulgou um parecer, recentemente, admitindo que uma pessoa entre 8 e 80 anos tem o mesmo processo fisiológico para suportar um tratamento ortodôntico.

Mas afinal, qual aparelho é o mais adequado?

 

Ao encarar o problema bucal, é normal ter algumas dúvidas a respeito do tratamento. Qual o aparelho mais adequado? Fixo ou móvel? Aquele que prioriza a estética ou o mantenedor de espaço?

Para cada caso, um tratamento é recomendado. Para não correr riscos, sempre priorize a consulta com um profissional especializado. Aqui na Studio Berrini contamos com profissionais capacitados para avaliar e recomendar o melhor tratamento para você. Conheça nossas especialidades.

O que é bruxismo?

O termo incomum no vocabulário popular caracteriza o ato de ranger os dentes de forma sistêmica, o que pode abalar a arcada dentária como um todo

Ainda que silencioso, o bruxismo é uma doença que merece atenção. O ato de ranger os dentes, tensionando uma mandíbula contra a outra, pode provocar doenças periodontais, dores de cabeça e dores na musculatura da boca e da cabeça. O problema pode acontecer, inclusive, durante o sono.

O ranger, apertar ou esfregar os dentes podem ser causado por diversos motivos, até mesmo por questões emocionais. Situações de estresse e apreensão, por exemplo, podem motivar a repetição de movimentos que caracteriza o bruxismo.

A dor de dente é um dos principais indícios do bruxismo. Acompanhado a dor, o desgaste no esmalte e na estrutura dentária também é um sinal evidente de alguma disfunção. Dores faciais, na musculatura da mandíbula  e na arcada dentária são outros indicativos dos problema.

Placas Anti Bruxismo

Como parte do tratamento, que pode obedecer a diversas vertentes, as placas anti bruxismo são uma forma de contornar os prejuízos causados pelo ranger dos dentes, sobretudo, durante a noite.

Tratam-se de placas de resinas que são colocadas entre as arcadas dentárias para proteger os dentes contra as eventuais  fricções noturnas. Praticar atividades que tragam alívio durante a rotina estressante e regular o sono também são medidas que podem aumentar a qualidade de vida e controlar o bruxismo.

O bruxismo, ainda, pode acontecer em função da DTM (Disfunção Temporomandibular), um problema que prejudica a articulação da mandíbula e provoca incômodo ao se fazer qualquer movimento de abrir ou fechar a boca.

Conheça quais são os principais problemas gengivais

A mucosa da gengiva é uma região sensível e que pode sofrer com inflamações como a gengivite e a periodontite

A saúde bucal passa por uma boa conservação dos dentes e também pela higienização da gengiva. A mucosa gengival é uma região de tecido muito sensível acima dos dentes e que pode ser alvo de estados inflamatórios, como os casos da gengivite e periodontite.

A periodontite é um estágio já mais avançado da gengivite. A periodontite se caracteriza por um estágio mais grave por, além de envolver a inflamação da gengiva, também apresenta todos os tecidos de suporte ao dente, inclusive o osso, com sinais de inflamação.

Mas tudo começa a partir do acúmulo das placas bacterianas na cavidade bucal. Por isso, é fundamental que a higiene bucal seja feita de maneira correta, evitando o armazenamento de restos de comida na cavidade oral.

O primeiro indício de um problema gengival é o sangramento. Isso pode acontecer durante a escovação,  por exemplo. O ato de escovar os dentes, inclusive, pode vir a provocar alguma lesão na gengiva caso seja feita de forma errada. Problemas na gengiva, em alguns casos, podem ser o prenúncio de outros problemas de saúde. Por isso, não deixe de consultar um especialista.

Cuidar de uma boa higiene bucal após as refeições, com o uso do fio dental e da escova de dentes, pode ajudar a prevenir contra a formação da placa bacteriana. Quando já está acumulada, a placa bacteriana pode ser retirada com a ajuda de um especialista pelo método da raspagem.

Aftas: quais os tratamentos indicados?

O aparecimento de aftas tem mais incidência sobre grupos de risco específicos. Fatores como estresse e higiene bucal influenciam diretamente.

Ao menos uma vez na vida você já sofreu com aftas. São feridas resultantes de um processo inflamatório que atinge a mucosa oral. As lesões, que abalam a saúde bucal, podem ser resultante de uma série de fatores e têm incidência sobre grupos específicos, como crianças, pré-adolescentes e jovens.

As aftas não são causadas por fungos, bactérias nem qualquer outro microrganismo e, de maneira geral, tratam-se de um estado inflamatório de curta duração. Mediante tratamento, que inclusive pode ser realizado com métodos caseiros, as aftas desaparecem em cerca de duas semanas.

Aftas podem surgir em diferentes partes da cavidade oral, como no interior dos lábios, língua, bochechas, gengiva e garganta. Em geral, não apresentam pus nem sinais de infecção. São caracterizadas por formas ovaladas, brancas ou amareladas.

Causas das Aftas

O surgimento das aftas tem causas variadas. Até mesmo uma disfunção hormonal pode ser responsável por formar as estomatites aftoides – como também são conhecidas – no interior da boca. O histórico familiar também pode pesar a favor do aparecimento das aftas.

A fricção em regiões da boca, provocada por dentes quebrados ou até mesmo por uma escovação indevida, pode causar o surgimento das aftas.  Existem, no geral, dois tipos de aftas: menores – que levam de uma a duas semanas para cicatrizar – e maiores, que demoram, na maior parte das vezes, meses para secarem.

Os sintomas

Em geral, a região atingida pela afta apresenta uma vermelhidão e grande sensibilidade. Em alguns casos, o estado inflamatório provoca ardência. Em circunstâncias mais graves, pode acontecer a perda no paladar e quadros de dor aguda.

Tais sintomas, em média, duram entre uma e duas semanas enquanto o quadro está sendo tratado.

Tratamentos

É sempre recomendado que, em quadros mais resistentes, aconteça a consulta a um especialista para um encaminhamento mais assertivo. Ainda assim, existem pomadas especiais e outros métodos caseiros que dão conta de reduzir o estado inflamatório.

O gelo, por exemplo, é um grande aliado para diminuir a inflamação. Compressas, ao menos três vezes ao dia, devem aliviar as sensações de ardência. Fazer bochechos com solução a base de bicarbonato de sódio também é uma forma acelerar o processo de cicatrização. A aplicação de água oxigenada diretamente na afta ajuda a manter a região higienizada para evitar eventuais contaminações.

Os reflexos do estresse na saúde bucal

As situações provocadas pelo mundo corporativo podem desencadear uma rotina de estresse que afeta a saúde dos dentes

Uma rotina estressante pode influenciar por completo os cuidados com a saúde bucal. Além de poder desencadear reações inflamatórias, o estresse induz a uma série de práticas como uma dieta desregrada e maus hábitos como consumo de tabaco e bebidas alcóolicas.

Os mecanismos do estresse, como o abalo psicológico, despertam uma série de comportamentos que vem a degradar a saúde dos dentes. A correria do dia-a-dia, por exemplo, que dificulta a construção de uma dieta saudável e balanceada é um dos reflexos dos prejuízos do estresse ao corpo.

Além de não se alimentar bem, a higiene bucal – parte importante da rotina de cuidados com os dentes – é prejudicada. Por isso, recomenda-se sempre versões de bolso de pasta de dente e escova.  Assim, é possível manter a higiene da boca mesmo estando fora de casa, em meio aos compromissos do dia-a-dia.

Além da higiene bucal, que deve ser feita após as refeições, outro cuidado que se deve ter é relacionado à mastigação. Apesar dos horários e compromissos, é ideal ingerir os alimentos com calma, atentando-se à mastigação para evitar não só problemas estomacais como dentários.

Aliar o cuidado diário com os dentes à uma rotina sazonal de idas ao consultório de um profissional especializado pode ser a melhor saída para manter a saúde bucal em boas condições. Assim, evita-se a ocorrência de problemas como o aparecimento de cáries ou estados inflamatórios como a periodontite.

Fique a vontade para consultar nossos tratamentos e soluções. Entre em contato para saber mais detalhes e marcar uma visita.

Como é realizado o processo de restauração dental?

Utilizada para reparar fraturas ou manchas, a restauração dental é um procedimento que ajuda a manter a estética bucal

Os problemas que fragilizam as estruturas dentárias são mais comuns do que você imagina. Seja por uma higiene bucal deficiente, e o aparecimento de cáries, ou por conta de fraturas na arcada dentária, a restauração dental é uma grande aliada para conservar a saúde bucal.

Além de preservar a estética bucal, os procedimentos de restauração dental evitam problemas mais graves nas estruturas da boca. Basicamente, a restauração consiste na reconstrução do dente – ou de parte dele.

Elas podem ser diretas (quando a aplicação do material restaurador ocorre diretamente sobre a superfície do dente) ou indiretas (quando o procedimento exige o preparo de um material antes da aplicação).

Como acontece a restauração dental?

Em ambos os casos, seja em uma aplicação direta ou indireta, a restauração dental depende de um profissional especializado.

Em alguns casos, o problema está só em parte do dente. Diante disso, é necessário trabalhar a parte afetada, higienizando a região, e avaliando o tipo de restauração que será realizada.

Em outros casos, a preparação de facetas de porcelana – e sua posterior colocação podem solucionar a área que precisa ser restaurada e renovar a aparência dos dentes.

Não há limite de idade para o processo de restauração – ele pode acontecer em diferentes fases da vida. Além de recuperar a anatomia e a função dos dentes, ajuda a preservá-los contra futuras degradações.

Conheça os principais tipos de mancha nos dentes

As manchas podem ser causadas pela ingestão de alimentos específicos, pela nicotina ou por restaurações metálicas

As manchas dentárias são um problema que atinge grande parte da população. Manchas superficiais e pequenas são facilmente removidas. Outros tipos de mancha nos dentes, que atingem uma área maior necessitam de tratamento especializado.

As manchas nos dentes podem ser de duas categorias: extrínsecas ou intrínsecas. A primeira ocorre na parte de fora dos dentes, e é provocada, sobretudo, pela ingestão de alimentos com corante. A segunda pode ser advinda de um trauma, ou de doenças como a fluorese.

Sabendo que a mancha nos dentes pode ser provocada por diversos fatores, listamos algumas das causas. Acompanhe abaixo:

Hábitos Alimentares e Cotidianos

 

Boa parte das manchas extrínsecas, que surgem na parte de fora dos dentes e prejudicam o esmalte, são causadas por hábitos alimentares e cotidianos. O tabagismo, por exemplo, é um grande causador de manchas devido à nicotina – substância que deixa os dentes amarelados.

A ingestão de alimentos com pigmentos (como café, refrigerantes e chás) e a higiene bucal deficiente também estimulam o aparecimento de manchas e o acúmulo de placas bacterianas. Um dos tratamentos mais básicos, neste caso, é o polimento dos dentes acompanhado de sessões de clareamento dental.

Trauma Dentário

 

Manchas também podem aparecer diante da necrose pulpar, provocada por um trauma em um ou mais dentes da arcada dentária. Diante de um trauma, o dente em questão pode apresentar uma mudança de cor. A mancha escura é provocada pelo extravasamento e acúmulo de sangue na parte interna dos
dentes.

Nestes casos em que a mancha é intrínseca e advinda de um trauma, recomenda-se o acompanhamento da região através de radiografias e da análise de um especialista. O clareamento interno pode ser uma solução, ao passo que, em casos mais severos, pode-se optar pela, preparação do dente para a colocação de uma faceta de porcelana.

Restauração Metálica

 

As restaurações por amálgama – tipo de obturação metálica-, que era utilizada com mais frequência na época que o uso das resinas ainda não estava amplamente disseminado, acabavam pigmentando os dentes com o passar do tempo.

A forma de combater este tipo de mancha, exclusivamente, é optar pela troca das restaurações escuras por materiais mais claros, como por exemplo resina ou porcelana.

Não deixe de compartilhar o artigo com amigos e agir na construção de um sorriso perfeito. Conheça nossos planos de tratamento exclusivos.

A relação entre doenças periodontais e fatores psicológicos

Uma rotina estressante, por exemplo, pode levar a uma higiene bucal deficiente e uma dieta desregrada, o que afeta a saúde dos dentes

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão é a desordem mental mais comum entre as pessoas e, ao todo, 300 milhões de indivíduos são afetados por ela ao redor do mundo. Por outro lado, nas grandes cidades, a rotina estressante também surge como vilã para o aparecimento de doenças periodontais.

É importante, antes de tudo, caracterizar a periodontite. Trata-se da infecção dos ligamentos e ossos, além das gengivas, que dão suporte aos dentes. Na idade adulta, a periodontite é um fator comum que causa a perda dentária.

O estresse, por exemplo, é responsável por produzir em nosso corpo substâncias nocivas e que podem provocar um quadro de infecção bucal. Substâncias importantes, como o cortisol, fortalecem a ação inflamatória e prejudicam o sistema imunológico – o que pode desencadear um quadro clínico ainda mais sério.

Uma dieta rica em carboidratos – que se tornam açúcares dentro do corpo – contribui para a formação da placa bacteriana. Atrelado a uma dieta inadequada, uma higiene bucal mal feita também propicia o acúmulo de bactérias na superfície dos dentes.

Maus costumes, como a ingestão de bebida alcoólica e o tabagismo, podem agravar a situação e são ainda mais comuns em quadros de desequilíbrio emocional. Transtornos de ansiedade, pânico ou até mesmo o estresse perpetuam uma rotina desregrada.